Comunicação Dr. Danillo Ferreira

Por Comunicação Dr. Danillo Ferreira


Bruxismo! Como tratar e seus principais malefícios

Neste artigo falaremos um pouco mais sobre essa condição, seus principais malefícios e, acima de tudo, como tratá-los.


Bruxismo! Como tratar e seus principais malefícios

Você já acordou com os músculos da mandíbula doendo ou com dores de cabeça? Se a resposta foi sim, pode ser que você sofra de bruxismo. Não se preocupe, neste artigo falaremos um pouco mais sobre essa condição, seus principais malefícios e, acima de tudo, como tratá-los.

Bruxismo trata-se de uma desordem funcional. Em linhas gerais, sua principal característica é o cerrar, ranger ou apertar os dentes durante o sono. Suas causas são variadas, podem estar associadas a fatores genéticos, questões físicas, como o fechamento incorreto do maxilar, ou até mesmo, o bruxismo pode estar conectado ao estresse, tensão ou ansiedade. A consulta a um dentista especializado irá indicar-lhe qual é a causa e o melhor tratamento.

Quais os principais malefícios?

Sabendo, portanto, do que se trata o bruxismo, é importante ressaltarmos os malefícios que essa condição pode trazer ao paciente. Além da óbvia dor causada pelo apertar dos dentes, o bruxismo causa o desgaste dos dentes e o amolecimento deles. Isso ocorre, pois, ao realizar essa compressão em demasia dos dentes pode causar a ausência (isquemia) de sangue que entram nos vasos do ápice da raiz do dente. Essa deficiência, ou ausência sanguínea, pode gerar a necrose do vaso do nervo e da polpa dentária. Percebe-se, então, que o bruxismo é algo que dever ser tratado, caso você note algum sintoma.

Além das dores já mencionadas, o paciente também pode queixar-se de dores no pescoço, na mandíbula e nos músculos da face. Ademais, há casos em que há queixas de zumbido e dor de ouvido que podem estar conectados ao bruxismo. A depender da intensidade da condição de apertar e ranger os dentes, essas dores podem variar de uma noite para a outra, por isso, é importante ficar atento a qualquer um desses sintomas. Caso você tenha dúvidas se sofre ou não desse mal, procure um dentista especializado, ele poderá avaliar se a situação, quando os sintomas já estão presentes. Um exame que detecta o problema, e pode ser solicitado por seu dentista, é a polissonografia, também conhecido como exame do sono. Esse diagnóstico permitirá o dentista detectar o grau de distúrbio e indicar o melhor tratamento. Então lembre-se de que se você sofre com:

  • Dores na mandíbula ao acordar;
  • Dores de cabeça ao acordar;
  • Percebe seus dentes desgastados (normalmente, exames odontológicos preventivos detectam o problema);
  • Dores no pescoço;
  • Dores na face.

Consulte seu dentista.

Tratamentos

Como dissemos, as causas podem ser variadas, assim, a depender da causa, o tratamento correto será indicado. Baseando-se nos danos aparentes e nas causas, o dentista irá indicar alguns tratamentos, tais como:

  • Dispositivos para dormir: São as placas interoclusais flexíveis de silicone ou as placas rígidas de acrílico. Esses dispositivos são moldados segundo a arcada dentária do paciente e encaixados nos dentes superiores, a fim de impedi-los de pressionarem os dentes inferiores, restringindo os movimentos. Aqui, apesar de ser uma maneira de aliviar o problema, não o trata, nem o elimina.
  • Ansiolíticos: Parece que não, mas se a causa do seu problema tiver raízes em estresse ou ansiedade, uma forma de tratamento envolve o uso de medicamentos para combater esse quadro. Obviamente, que se recomenda, também, alternativas de combate ao estresse, tais como técnicas de relaxamento, meditação e terapias auxiliares para controlar situações potencialmente estressantes.
  • Correção da mordida: Por vezes, o bruxismo pode estar relacionado ao fechamento incorreto da mordida, no qual os dentes “não se ajustam”. Nesses casos, o tratamento indicado pode ser o uso de aparelhos para corrigir a mordida anormal.

Agora que você já sabe mais sobre o bruxismo, malefícios e tratamentos, acesse as “áreas de atuações” em nosso site e, se tiver dúvidas, entre em contato conosco!

Comunicação Dr. Danillo Ferreira

Por Comunicação Dr. Danillo Ferreira


Voltar